Wednesday, November 26, 2008

Gostou? Quando for citar, por favor colocar a fonte assim:

SOUZA SILVA, Patrícia. Considerações Sobre o Evangelho Segundo Jesus Cristo. disponível em http://intelectualissima.blogspot.com. Última atualização em 26 de Novembro de 2008.

Considerações sobre O Evangelho Segundo Jesus Cristo

O Evangelho Segundo Jesus Cristo (1991) é uma obra do escritor português, reconhecido mundialmente, José Saragamago. José Saramago tem obras adaptadas para óperas, teatros, mini-séries; é muito fértil em sua literatura, escrevendo poesias, romances, teatros e recebeu vários prêmios de Literatura. Mas, a obra analisada, O Evangelho Segundo Jesus Cristo, lhe rendeu muitas críticas e foi considerada uma ofensa à Igreja Católica. Por causa disso, o autor refugiou-se nas ilhas Canárias, onde vive até os dias atuais.
O motivo de tanta indignação da Igreja Católica, por conta da obra de Saramago, é que ele retrata a história de Jesus, mas não da forma como é relatada nos Evangelhos Segundo Mateus, Marcos, Lucas e João. Pois, o Jesus mostrado em Mateus é aquele como “O Messias”, porque o público alvo eram os judeus; em Marcos é aquele Jesus “modelo de homem”, trabalhador, porque o público alvo eram os romanos; em Lucas, Jesus é retratado mais pelo lado “médico dos médicos”, sábio, e o público alvo os gregos; e em João, é Jesus “filho de Deus”, amor que veio para dar a vida e salvar a todos, porque o público alvo era toda a humanidade. E todos viveram mais ou menos na mesma época que Jesus viveu. A obra de Saramago foi escrita quase dois mil anos depois dessa época, é uma ficção, um romance, o que difere é um outro cenário com Jesus, os mesmos personagens, mas outra versão dos fatos.
Saramago fez de sua obra um romance, não tem a obrigação de contar a história como realmente aconteceu. No entanto, dá vida a obra usando a imaginação, uma história de amor. E nesse livro, o Jesus apresentado é um homem comum com um dom. Há a humanização de Jesus.
Pela época, podemos dizer que Saramago está inserido no neo-realismo português. Então, uma das intenções presentes ao se escrever a obra é despertar a consciência do povo. Talvez até mesmo como denúncia social, pelo fato de querer alertar as pessoas para as coisas que lhe são contadas. O autor não está querendo negar a história de Jesus (ele mesmo afirma isso), mas quer levantar hipóteses. “E se..” “E se a história verdadeira tivesse acontecido de outra forma?”.Nietzsche também tem intenções de exercer indagações nas pessoas, em sua obra O anticristo, ele tenta mostrar o poder que a camada dominante pode exercer nas pessoas, que não há verdades acabadas.
E Saramago, longe de querer depreciar a pessoa de Jesus em seu livro (a partir do momento que humaniza Jesus), ele traz um ponto de vista que Jesus, apesar da divindade, era homem. Com todas as indagações possíveis. A visão que o autor passa de Deus é como das mitologias, mais próximo dos homens, compreensível, assim como os deuses. O diabo, por sua vez, não é mau, e sim um testador enviado pelo próprio Deus, para acompanhar e instruir a vida de Jesus na terra. Sua função é colocar as dúvidas no caminho do mestre, pois as hipóteses trazem o conhecimento. E, além de tudo, há espaço para o romance, na obra, de Jesus e Maria Madalena.
Portanto, o livro O Evangelho Segundo Jesus Cristo é intrigante, tem a intenção de levantar debates, mexer com as ideologias das pessoas. Cumpre com a função de romance: narra uma história ficcional, e possui uma linguagem simples. Ele enriquece muito a humanidade, no sentido de engrandecer, e quem realmente assumir o risco de ler a obra, como ficção, surpreender-se-á com as diversas possibilidades que as coisas podem se apresentar, e como a verdade pode ser manipulada.
Referências:
SARAMAGO, José. O evangelho segundo Jesus Cristo. São Paulo:Companhia das Letras, 1991। 445p